domingo, 24 de julho de 2011

Prestação de contas / H² Sustentável – quarto encontro e informações para o quinto


Antes de começar a falar sobre  como foi o quatro encontro do H² Sustentável, gostaria de prestar contas com todos os leitores e explicar a minha ausência. Não sei se todos sabem, mas me mudei. Não apenas de casa, mas me mudei de estado, de vida, de estilo de vida. Não, não casei, não fiquei louca e nem passei a fazer parte de algum retiro voluntário. Vamos por partes.

Me mudei para o Pará. Para o interior do Pará. Mais precisamente Ourilândia do Norte, uma cidade localizada em uma área remota. Ou seja, difícil acesso, pouquíssima infraestrutura (quando digo pouquíssima, é pouquíssima mesmo, do tipo, falta o básico, como asfalto, esgoto, energia) e demandas de todos os lados. É uma cidade relativamente próxima a Carajás (aqui 300km é perto) e apesar do pouco investimento feito desde seu nascimento (a cidade tem 23 anos), é rica em recursos naturais e um polo de pecuária.

Para vocês terem ideia do que eu falo, a picanha aqui custa 12 reais o quilo, a metade do que custa no Rio. Mas em compensação, todo o resto é bem caro por dois motivos: distância (dizem, não sei se é verdade, que até alimentos não é abundante por aqui) e porque o povo acha que quem vem de fora é rico (alguém saberia me dizer por qual outro motivo uma Coca-Cola de 2 litros custa 6,90 no supermercado?)

Então, aqui em Ourilândia está a primeira mina de níquel da Vale no Brasil., que entrou em operação em maio. É a menina dos olhos da Vale. Para encerrar o assunto, faço parte da equipe que está cuidado da sustentabilidade do projeto e por isso ficarei aqui por um bom tempo.

Agora entrando no H² Sustentável, o quarto encontro aconteceu na quarta retrasada, no Centro do Rio. Na ocasião, tivemos a ilustre presença de Otávio Barros, presidente da cooperativa do Vale Encantado, que fica no Alto da Boa Vista, e oferece turismo sustentável a quem vai lá. Ele contou como funcionam a cooperativa, a associação de moradores, as demandas do local e, principalmente, do risco de especulação imobiliária, já que o prefeito está inclinado a emitir licenças, sendo que a área está no coração da Floresta da Tijuca que, para quem não sabe, é a maior floresta urbana do mundo.

Durante o passeio no Vale Encantado, as pessoas se deparam com iguarias feitas por cozinheiras locais. Lembram que eu citei o jacalhau, o famoso bacalhau de jaca, tão falado na rede desde o primeiro encontro? Pois bem, tem o jacalhau, a empadinha de jaca, o pudim de chuchu e muitas outras coisas deliciosas feitas com ingredientes que nem imaginamos.

A paixão com que o Otávio falava do Vale Encantado foi empolgando tanto os presentes, que tomamos a decisão de fazermos o quinto H² Sustentável completamente diferente dos quatro encontros anteriores. Será no dia 13 de agosto, um sábado, lá no Vale Encantado. Não faremos a trilha, mas comeremos muita coisa boa! E durante a farra, faremos um quiz sobre sustentabilidade com direito a prêmio aos vencedores.

Ainda estamos pensando em como será a logística (sugiro que quem tenha, vá de carro e se puder, dê carona) e certamente haverá um custo, que temos de ver com o Otávio de quanto será. Mas é legal que as pessoas interessadas demonstrem interesse para viabilizarmos o evento.

Estarei no Rio nessa época, então já deixo confirmada a minha presença. Mas a responsabilidade pela organização será do Saulo e um pouco da Eloá. Aos interessados já peço que façam a confirmação por email dizendo se possui carro, se pode dar carona e de onde sairia a carona.

É isso, galera! Vou mantendo o blog atualizado na medida do possível e adianto que a Agência não vai parar ou acabar. Apenas estou um "pouco" distante.

2 comentários:

Fernanda Mello disse...

Dia 12 de agosto é numa sexta feira.

Julianna Antunes disse...

Ops... corrigido