Dicas de livro de sustentabilidade

Nos últimos anos tenho lido muito sobre sustentabilidade. Sustentabilidade do ponto de vista da administração, sustentabilidade do ponto de vista da economia, sustentabilidade do ponto de vista da comunicação, da engenharia e mais um monte de ponto de vista. Por motivos óbvios, o que mais tenho me identificado é com a sustentabilidade do ponto de vista da economia.

De qualquer forma, tenho muitos bons livros a indicar, por isso coloco aqui meu top 10 até o momento.

1) Capitalismo natural (Natural capitalism)


Digo sem a menor dúvida que esse livro não é só o melhor de sustentabilidade corporativa, mas o melhor que já li na vida (ok, confesso que gosto de uma leitura pouco digerível no café da manhã). É uma visão muito pragmática sobre como a sustentabilidade pode (e vai) impactar o modelo de negócios das empresas. Tão pragmática que chega a incomodar. Mas sabe o que é mais chocante? Esse livro foi escrito no final da década de 90. Se é desconcertante hoje, imagina na época?




2) Capitalismo climático (The way out: kick-starting capitalism to save our economic ass)



Da mesma autora de Capitalismo natural, o livro não chega a incomodar se você já leu o primeiro, mas é igualmente sensacional e mostra em uma linguagem muito conhecida de CEOs, diretores e empresários, a do retorno financeiro, o porquê de acreditando ou não nas mudanças climáticas, é bom investir em uma economia de baixo carbono.



3) Reinventando o fogo (Reinventing fire)


Fechando a trinca de ouro, mais um baita livro de um dos autores de Capitalismo Natural. Aqui o tema fundamental é energia e as soluções alternativas  ao petróleo, ao carvão, ao gás natural e ao shale. O livro mostra como é possível, até 2050, os EUA se livrarem da energia de alto carbono. Passando longe da utopia, Amory Lovins fundamenta a economia de baixo carbono, a criação de um mercado energético estável (lê-se, sem guerras e ditaduras) e com muito mais empregos que o modelo atual. Super atual, o livro cita muitos dados técnicos, muitos dados econômicos e instiga o público a sair da zona de conforto. 



4) Canibais com garfo e faca (Cannibals with forks)


Clássico da sustentabilidade, também escrito na década de 90, para quem não sabe, foi nesse livro que John Elkington cunhou a expressão triple bottom line (tripé da sustentabilidade). É um baita livro. Não tão desconcertante quanto os três primeiros, mas dada a época em que foi escrito, bastante inovador. Aliás, ainda hoje ele é bem vanguardista, a ponto de Elkington, há alguns anos, ter feito mea culpa e dito que o livro era muito avançado para a época. Se alguém é louco de seguir minhas dicas, aconselho a ler esse livro antes de qualquer outro da lista.


5) Corporação 2020 (Corporation 2020)


Já escrevi uma resenha sobre esse livro e como disse, é uma evolução de Canibais com garfo e faca. É simplesmente sensacional a história contada sobre as crises econômicas, sobre o papel do lobby e da publicidade na (in)sustentabilidade das nações e principalmente porque falar das empresas é falar de um negócio que deu errado. Não, não estamos falando de faturamento, mas de geração de valor. E aí vem os apontamentos para a empresa do novo século, deixando para trás consumismo irresponsável, energia artificialmente barata e falta de transparência.



 6) Estratégias para sustentabilidade (Strategy for sustainability



Para mim o livro mais importante sobre estratégia para sustentabilidade e que deveria ser lido por qualquer pessoa que trabalha com planejamento. Um livraço. O Adam Werbach é um dos principais nomes da sustentabilidade corporativa da atualidade e quebrou paradigmas ao prestar consultoria para o Wal-Mart. Uma bíblia de estratégia e mapeamento de oportunidades da sustentabilidade.


7) Muito além da economia verde


Lançado em 2013, Muito além da economia verde, é um livro sem cerimônias e toca o dedo na ferida. Melhoria de processos não é o suficiente enquanto mantivermos nossa cabeça voltada para um modelo de consumo do século passado. E nessa lógica, o livro fala que o tripé da sustentabilidade não é suficiente, por isso é fundamental aliá-lo à tecnologia e sociedade em rede. Palavra-chave do futuro: compartilhamento.



 
8) A empresa sustentável (The triple bottom line) 


 
Esse foi o primeiro livro que li sobre o tema e considero o breaktrough para minha saída da área de responsabilidade social e entrada efetiva em sustentabilidade. Considero uma bíblia de gestão empresarial. Leitura obrigatória a todos que trabalham ou têm interesse na área e uma aula sobre implantação da sustentabilidade nos processos corporativos.


9) O que os economistas pensam sobre sustentabilidade



Uma coletânea que reúne depoimentos de diversos economistas brasileiros sobre questões que envolvem sustentabilidade, crise econômica, floresta amazônica, emissões de carbono, floresta em pé. Os depoimentos vão desde economistas progressistas, como o Sérgio Besserman, até os economistas tradicionais, que acham que sustentabilidade é perda de tempo e o mercado resolve tudo, como Delfim Neto. Por conta dessas contradições, o livro é uma mistura de sentimentos que ora dá vontade de fechá-lo, ora dá vontade de devorá-lo.



10) Saí da Microsoft para mudar o mundo (Leaving Microsoft to change the world




Numa análise fria, o livro não tem muito a ver com sustentabilidade corporativa. No entanto, ele mostra claramente o perfil que quem trabalha na área deve ter, que vai além do perfil técnico e conhecimento da área. É um livro altamente apaixonante e inspirador. Uma baita aula de empreendedorismo social quando o tema ainda não estava na moda e uma baita aula de gestão sustentável do terceiro setor.





** Bônus Economia Ambiental (Environmental economics and management: theory, policy and applications)
 

É um livro pesado, difícil, absurdamente técnico, mas fundamental para, finalmente, colocar um custo financeiro nos impactos ambientais e, a partir de então, estabelecer políticas de regulamentações governamentais e de mercado. Considero este livro uma quebra de paradigmas, pois mostra pela visão dos cálculos financeiros, o quanto é importante a conservação e a preservação do meio ambiente.

1 comentários:

Ricardo Fernandes disse...

Excelente sua iniciativa, sua visão, você vai direto ao ponto.