sexta-feira, 24 de abril de 2015

O preço da corrupção

Na última quarta feira, depois de meses de expectativa, foi divulgado o preço da corrupção da, outrora, maior empresa do Brasil. O valor, segundo o balanço da Petrobras, indica uma perda de 6,2 bilhões de reais em 2014.

Sou mais pragmática do que isso, já que o prejuízo total, de 21,59 bilhões, indica uma série de investimentos errados que é a tradução da interferência do PT na gestão da estatal apenas para agradar aliados. Se um presidente obriga uma empresa estatal a investir em algo que não só será superfaturado, mas inútil, ah, isso para mim também é corrupção, já que ele está sendo beneficiado, nem que seja pelo aumento do capital político.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Vida saudável também é sustentabilidade. Melhor ainda quando é sem neura!

Vida saudável hoje é uma mega indústria. Bilhões em produtos e serviços voltados para saúde, atividade física, performance. Estou falando de alimentação, vestuário, equipamentos,  instalações, consultorias, turismo e mais uma infinidade de categorias.

Há algum tempo essa mesma indústria viu que a internet era um ótimo canal para disseminar o conceito de vida saudável e movimentar, ainda mais, esse mercado. A partir daí, surgiram webcelebrities que pregavam abdomens trincados e corpos lindos como um estilo de vida a ser seguido. E as pessoas seguiam. E compravam essa ideia. E essas celebrities passaram a lucrar muito.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Formando massa crítica para sustentabilidade – palestras gratuitas em todo Brasil

Após pouco mais de um ano de um sabático voluntário, resolvi que estava na hora de retomar uma das coisas mais legais que trabalhar em sustentabilidade tem me propiciado: palestrar. Desde 2009, por conta das palestras, tenho tido a oportunidade de ir a muitas cidades, conhecer muitos lugares e muitas pessoas. Eu, até, tenho tido oportunidade de poder falar sobre um dos assuntos que mais faz meus olhos brilharem. Tem como isso não ser sensacional?

Pois bem, em 2013 acabei por focar especificamente em palestras para o público universitário para ir de encontro a uma das minhas missões, que é formar massa crítica para a sustentabilidade. E, convenhamos, não há público melhor para fazer isso! Mas dessa vez resolvi ampliar o leque e disponibilizar outros temas sobre os quais já palestrei nesse meu Brasil varonil.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Conteúdo relevante em tempos de internet – conhecendo o passado para entender o presente

Lembram quando divulguei aqui uma parceria da Cengage Learning com a CAPES para a disponibilização de seis bibliotecas internacionais de conteúdo altamente relevante e totalmente gratuito?

Para quem não lembra, as bibliotecas são de publicações da National Geographic, Economist, Financial Times, Gale World Scholar, Nineteenth Century e Sabin Americana. Acontece que a parceria ampliou e mais e mais bibliotecas foram disponibilizadas ao público, sobre os mais diversos assuntos como literatura, relações internacionais e direito. Agora são  17 bibliotecas e uma delas me chamou atenção: Slavery and Anti-Slavery: a transitional archive

quarta-feira, 25 de março de 2015

Até que ponto você quer pagar pela sustentabilidade?

Desde a globalização dos mercados, do ponto de vista da sustentabilidade, o tema mais crítico é a internacionalização das cadeias produtivas. Resumindo, é a terceirização / transferência de fábricas para países onde o custo da mão de obra é infinitamente mais baixo que em países desenvolvidos.

Com legislações trabalhistas praticamente inexistentes, com casos públicos de uso de trabalho infantil e/ou análogo ao escravo, fábricas localizadas, principalmente, no sudeste asiático permitem que grandes marcas mundiais reduzam o custo de sua produção e se “mantenham competitivas” em mercados cada vez mais selvagens.