sexta-feira, 26 de março de 2010

Dia Mundial da Água, sustentabilidade, geração Y e afins

Esse texto em versão reduzida e adaptada foi publicado no blog Foco em Gerações no dia 22/03.

Há alguns meses escrevi para o blog Foco em Gerações sobre a sustentabilidade na ótica da geração Y. Falei de números, pesquisas, porcentagens e mais um monte de coisas interessantes sobre a relação. Hoje não vou voltar exatamente a esse ponto, mas falarei sobre um assunto importante para a geração que, cedo ou tarde, terá de assumir as rédeas por problemas de desenvolvimento insustentável ocasionados pelas gerações anteriores a sua.

Na última segunda tivemos o Dia Mundial da Água e muitos fatos me chamaram atenção. Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos os habitantes do planeta têm direito a uma vida digna e saudável, o que inclui o acesso à água potável. Bonito, não? Mas vocês sabiam que mesmo 70% planeta sendo coberto por água, só 2,5% é água doce, e que apenas 0,03% dela está em regiões de fácil acesso, como rios e lagos?

Sabiam que, de acordo com o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), onze países da África e nove do Oriente Médio já não possuem água potável? Sendo que o sinal vermelho já acendeu para Hungria, Índia, China, Tailândia, México e Estados Unidos?

Pensando na água além do banho diário e da nossa sede, que ela já ponto crítico, isso é fato, mas quais são as reais implicações desse problema no dia-a-dia da população? Ainda de acordo com o PNUD, cerca de 5,7 milhões de pessoas todos os anos contraem o tracoma, doença contagiosa que compromete a córnea, simplesmente por se banharem com água contaminada com esgoto. Além disso, 8,5 milhões de crianças/ano morrem de diarreia causada pela ingestão de água de má qualidade.

Ok, sabemos que esses problemas estão bem longe da gente, que a maioria dessas mortes ou contaminações é de pessoas residentes na África e na Ásia. Mas voltem um pouco a leitura, quando digo que México e Estados Unidos já acenderam o sinal de alerta. O problema está realmente longe? E se lembrarmos que nós, brasileiros, temos o péssimo hábito de desperdiçar recursos naturais como se não houvesse amanhã?

E por falar em desperdício, sabiam que cerca de 500 milhões de km³ de água são desperdiçadas no mundo todos os anos? É claro que boa parte deste número está na conta das indústrias e das atividades agrícolas. Mas vamos trazer isso para o nosso mundo: sabe quando nossa avó, nossa tia, nossa mãe ou nossa vizinha lava o quintal ou a calçada? Por que não falamos para elas usarem a água descartada da máquina de lavar?

Sabe a água que sai da torneira quando estamos escovando os dentes ou nos ensaboando durante o banho? Que tal se a fecharmos nesses momentos? Sabe aquela descarga interminável nos nossos banheiros? Que tal trocarmos por uma mais inteligente que gasta menos da metade de água quando acionada? Sabe aquele óleo de cozinha usado? Que tal doar para alguma instituição ao invés de jogar no ralo da pia e assim evitar contaminar não sei quantos litros de água?

A maioria dos brasileiros, por morar, talvez, num país abençoado por Deus e bonito por natureza, ainda não é capaz de perceber a real gravidade dos problemas causados pela escassez de água. Acho que ainda é cedo para falar, mas assim como o petróleo hoje é fator bélico, uma guerra pela água pode acontecer daqui a algum tempo. Nossos avós ignoraram o fato, nossos pais não se preocuparam em nos passar conceitos de consumo consciente, mas a responsabilidade agora é nossa, geração Y.

E então deixo uma pergunta para ser refletida: é esse o legado que você recebeu e quer entregar para as futuras gerações? Eu não.

0 comentários: