segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O impacto das embalagens na sustentabilidade

Vocês já pararam para pensar no impacto das embalagens no meio ambiente e o quanto isso significa na sustentabilidade de uma empresa? Muito antes de falar no assunto, já questionava a postura do McDonald’s em relação a isso. Meu ponto de vista era meramente financeiro. Perguntava se não faria mais sentido em um país pobre diminuir a exuberância de uma embalagem que vai para o lixo em troca de redução de preço. Pelo visto eles até hoje acham que não.

Pesquisando sobre o assunto na internet, encontrei uma cartilha chamada “Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem”. O editorial me instigou ao falar que a embalagem reflete a cultura e o estágio de desenvolvimento de uma nação e que a sua utilização está diretamente atrelada ao nosso estilo de vida. Minha conclusão: somos um país subdesenvolvido.

Hoje, cerca de um terço do lixo doméstico é composto por embalagens (que equivalem a 20% do lixo total), sendo que 80% delas são, sequer, reutilizadas. Sabendo que não são todas as cidades que possuem coleta eficiente, que a maioria dos aterros opera no limite, que a presença de lixões ainda é uma constante no país e que não utilizamos nem 10% do potencial de mercado da reciclagem, diria que, Houston, we have a problem.

Mais do que nossa culpa pela falta de educação, as empresas são, também, grandes responsáveis. Para o marketing, a embalagem tem muito mais função do que apenas preservar e proteger um produto. Atire a primeira pedra quem nunca escolheu um livro por causa de sua capa. Acontece que os tempos são outros e a exuberância e o exagero estão perdendo espaço em um mundo onde os mercados são extremamente competitivos e redução de custos é desafio constante para as empresas. Ah, é, a sustentabilidade.

Não estou falando aqui do uso de materiais sustentáveis e/ou certificados nas embalagens, mas em fazer o que sempre foi feito de uma forma um pouquinho diferente. Alguns meses atrás, quando escrevi sobre o cartão de benefícios da Visa Vale, citei que virou senso comum a adoção do cartão de benefícios ao invés do talão de ticket. É mais seguro, é mais barato e é mais sustentável.

Pensemos na indústria. A Unilever. Não vem ao caso a razão pela qual ela optou por investir em produtos concentrados, até porque bem antes de se falar em sustentabilidade, ela já tinha reduzido o tamanho da caixa de sabão. Ela e a concorrência, que fique claro. Que o motivo tenha sido financeiro, mas vamos lá: redução da caixa do sabão em pó. Menos matéria prima utilizada na embalagem, menos resíduos gerados na ponta inicial da cadeia.

Não entrarei no ciclo de vida do papelão porque não conheço. Mas provavelmente deve consumir menos água. Ok, menos matéria prima, menos resíduos, menos água. Caixas menores cabem em maior número dentro do caminhão, diminuindo a quantidade de viagens para distribuir o produto. Menos viagens correspondem a menos combustível gasto e menos carbono emitido. Chegando à casa do consumidor, este terá o produto de sempre e, com o novo tamanho da embalagem descartará (de forma certa ou errada) menos lixo. Enfim, seja pelo motivo que for, não seria esse o verdadeiro conceito de sustentabilidade corporativa?

3 comentários:

Julianna Antunes disse...

O impacto das embalagens na sustentabilidade foi escrito e postado no dia 13/07/2010.

Laís Yazbek disse...

Ju,

Muito bom o post!
Acho ótimo que as empresas estão se preocupando em otimizar as embalagens... Na verdade, louca a empresa que não faz isso!

Mas fico com uma dúvida, qual o papel que essas empresas devem ter no processo de reciclagem? Será que não deveria existir uma onda de conscientização do que o consumidor deve fazer com a embalagem pós utilização? Isso não deveria ser responsabilidade da empresa também? O Pão de Açucar tem a estação de reciclagem, mas penso em algo mais motivador.
O consumidor guarda tantas embalagens do produto X e devolve em alguma loja da empresa e ganha créditos por isso na próxima compra. Não sei se já existe algo assim. Mas pelo menos até a cultura ser criada, ter benefícios palpáveis para o consumidor e ainda o fideliza ao comprar sempre o mesmo produto.
Conheço muita gente que ainda não sabe o que fazer com o seu lixo.

Bjs

Caroline disse...

Adorei o post.
Estou nesse momento fazendo um trabalho sobre embalagens no meu MBA de GEstão Ambiental.
Foi muito bom ter encontrado esse post, me ajudou bastante.

A propósito, essa sua idéia de apoiar a causa animal é ótima.

Trabalho com alianças ha anos para defesa da vida animal...

resgatamos, doamos, castramos e salvamos várias vidas de animais em péssimas condições...

junte-se a nós...

bjos e parabéns.