quarta-feira, 11 de abril de 2012

O que esperar, sinceramente, da Rio +20?

Demorou, mas finalmente o assunto entrou em pauta. Ao menos no Rio de Janeiro. Para comemorar (comemorar?) os 20 anos de Rio-92, acontecerá este ano, dos dias 20 a 22 de junho, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Ou, simplesmente, Rio +20. Mídia, governo e sociedade acordaram e agora só se fala no evento.

Com a presença confirmada de mais de 100 chefes de estado, o evento deste ano nem de longe terá a importância do que foi 20 anos atrás. Na ocasião, vivíamos em um mundo onde o terceiro setor ganhava força, um mundo recém-informado a respeito do Relatório de Brundtland e do conceito de desenvolvimento sustentável. Um mundo que ainda não convivia com as mudanças climáticas, mas temia-as.

A bem da verdade é que não tenho muitas esperanças a respeito da Rio+20. A bem da verdade, ainda não entendi o seu real motivo. Não fizemos o dever de casa nesse tempo e não sei se há intenção de se fazer daqui para frente. Ok, o que era apenas um temor, hoje é uma realidade que joga o custo de produção das empresas lá para cima, que joga pessoas cada vez mais para os centros urbanos sem estrutura para super populações.

Não sei se a maioria sabe, mas em 2002 aconteceu na África do Sul a chamada Rio+10, que tinha como objetivo discutir a redução da pobreza e proteção do meio ambiente. Não deu em nada. Não sei se a maioria sabe, mas a COP não começou em Copenhagen em 2009. Ela acontece desde 1995 e este ano estará na sua 18ª edição. Inclusive, não sei se sabem, mas foi em uma COP, a de 1997, que se estabeleceu o Protocolo de Kyoto, aquele mesmo que os EUA se recusaram a assinar.

Vinte anos se passaram, muitos encontros foram realizados, muitos acordos e tratados assinados, mas pouco, muito pouco foi feito. Vinte anos se passaram e ainda morre-se muito por doenças banais, desmata-se muito pelo lucro excessivo, explora-se muito a base da pirâmide. E agora ainda temos o peso de sete bilhões de pessoas nas costas.

Para quem não sabe, a matriz energética brasileira está ficando cada vez mais suja. A qualidade de vida nas grandes cidades está piorando com o passar dos anos. No Brasil, a passividade da sociedade e do setor público beneficiam empresas que agem de má fé. Alguém se lembra que em 2010 a CSN foi multada por infrações ambientais umas três vezes seguidas? Pois é, a multa não foi e, acredito eu, nunca será paga.

E a CSA, que iniciou a operação sem licenciamento e estava deixando a população de Santa Cruz doente? Alguém se lembra dela ou a escola “doada” para comunidade deixou todo mundo bem de saúde novamente? E a Chevron, quanto vai pagar pelo derramamento de óleo, se é que vai pagar?

A questão é que muito se fala, muito se planeja, mas pouco, ou melhor, nada se faz. Ninguém, nenhum país, nenhuma empresa, quer abrir mão de “crescimento” em prol do desenvolvimento sustentável. E enquanto ficar esse jogo de empurra, onde quem tem de fazer é o outro, a única certeza que eu tenho é que se a Rio+20 vai servir para alguma comemoração, é o do fracasso do protocolo de Kyoto e dos Objetivos do Milênio.


Lembram do concurso “Pensando em Sustentabilidade Corporativa?” Pois bem, os vencedores:

1º lugar: Carlos Eduardo Cassaú
2º lugar: Ticiana Hugentobler
3º lugar: Vilma Albuquerque

Entrarei em contato com os vencedores a respeito da premiação.

E finalizando: Inscrições abertas para o curso de introdução à sustentabilidade corporativa em SP dias 20 e 21 de abril. Mais informações: http://migre.me/8qIq5

2 comentários:

Leonardo Trindade disse...

Olá Juliana!

É a primeira vez que escrevo aqui, mas acompanho seu blog regularmente pelo feed.

Realmente a Rio+20 e suas respostas aos problemas sistêmicos e estruturais que enfrentamos atualmente não são de inspirar confiança nem esperanças. No entanto, há um movimento de contra-corrente sendo organizado, chamado Cúpula dos Povos. Acho que você já deve ter ouvido falar. Creio que neste encontraremos respostas a nossas questões mais urgentes e críticas.

Abraços!

Fonte de MILAGRES disse...

É ótimo estar bem informada sobre um dos assuntos mais pertinentes do momento: a Sustentabilidade.

Que as vantagens de ler este blog possam ultrapassar as ondas virtuais e levar a conscientização à tantos navegantes, ao cotidiano e cada um, às empresas e instituições de qualquer porte e segmento.

parabéns pela iniciativa.