quarta-feira, 9 de março de 2011

A sustentabilidade e o problema do lixo

Constitucionalmente falando, o lixo no Brasil é de responsabilidade das prefeituras, que oferece um serviço próprio, como o caso da Comlurb no Rio de Janeiro, ou contrata terceiros através de licitação. E isso é um problema, pois muitas vezes isso vira instrumento de barganha política, sendo alvo de corrupção descarada. Sabiam que o atual chefe da Casa Civil, quando prefeito de Ribeirão Preto, foi investigado por problemas na contratação de empresas para fazerem a coleta de lixo da cidade?

Na verdade o objetivo não é falar de questões políticas, mas uma notícia nos jornais de hoje que me causou espanto: a quantidade de lixo gerado no Carnaval. Segundo informação da Comlurb, no carnaval do Rio, apenas na Marquês de Sapucaí, a quantidade de lixo removido em quatro dias passou das 400 toneladas. Isso sem contar nas ruas repletas de blocos e de gente mal educada.

Acontece que lixo é um lixo. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Urbana (ABRELPE), em dados referentes a 2008, 45% do lixo coletado no país vão parar em aterros controlados ou lixões. Isto equivale dizer que, diariamente, mais de 100 mil toneladas de lixo não recebem tratamento minimamente adequado. 

O custo dessa gestão é altíssimo. Para se ter ideia, a manutenção de um aterro sanitário pode chegar a 300 mil reais por dia. No Rio de Janeiro, o investimento anual chega a 850 milhões de reais. Em São Paulo passa de um bilhão. E esse valor poderia ser mais baixo se não fosse uma única questão: a postura das pessoas. Na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, 37% do que é coletado pela Comlurb, é lixo retirado das ruas. 
Segundo a empresa, esse tipo de coleta custa três vezes mais do que as coletas de porta em porta.

O grande problema é que a maior parte da população brasileira não tem iniciativa para a sustentabilidade. Vai de um mero jogar papel na rua até a falta conhecimento sobre como lidar com o lixo doméstico, passando pela falta cultura de preservação do meio ambiente e, muitas vezes, pela simples falta vontade de se fazer o que é certo. Assim, juntando à escassez de projetos da iniciativa pública voltados para a coleta seletiva, é possível imaginar o tamanho da dor de cabeça que isso causa.

O irônico da história, ao menos em minha visão pragmática da vida, é que esse um problema relativamente simples de ser resolvido. Educação. Daquelas bem básicas. E isso independe de classe social, cor ou credo. Rico e pobre, branco ou preto, católico, evangélico, macumbeiro ou ateu. A prática do desenvolvimento sustentável em muito tem início em uma família que ensina cidadania, direito, deveres e respeito a suas crianças.

E galera do Rio, não esqueça de preencher o questionário do Happy Hour Sustentável que acontecerá na última semana de março: http://migre.me/3TF4u

3 comentários:

Denise disse...

Juliana, e qual é a solução para o lixo? Para nós, população geral, talvez a melhor saída para o futuro seja uma reeducação. A sustentabilidade deve ser uma matéria na escola, assim como hoje todos tem educação sexual que surgiu com uma necessidade das doenças proliferadas e do aumento de gravidez entre os jovens.
A consciêntização deve estar nas empresas e o governo deveria implantar uma politica a ser seguida.
É revoltante a situação em que chegamos e poder fazer algo a favor do mundo e de nós mesmos as vezes parece tão difícil e inútil.
São simples decisões que tomadas agora podem fazer uma grande diferença no futuro.

agsocial13 disse...

Milton Santos Geógrafo com mais de 40 livros publicados,um dos mais respeitados intelectuais brasileiros disse que sociedade precisa ser reeducada.
Concordo com a Juliana.
É através da reeducação que teremos uma sociedade mais consciente, atuante e justa no que diz respeito aos deveres e direitos

Ana Paula disse...

Deixo aqui o link de um vídeo de aproximadamente 2 minutinhos, do núcleo que participo, o NEXA (Núcleo de Ex-Achievers da Junior Achievement), o qual desenvolve também várias ações sociais.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=k8tuoSfyFUA#!

Estou ajudando nessa divulgação para mostrar que TODOS podem fazer a diferença, mesmo com pequenos atos, assim como estamos fazendo.

Nos adicionem também no facebook e conheçam melhor o que fazemos.

http://www.facebook.com/nexapg